Como fazer Magia com Os Quatro Diabos

JerdehlEu realmente não gasto muito tempo falando ou discorrendo sobre Os Quatro Diabos. Há várias razões pra isso.

Uma delas é que a pergunta principal que me foi feita sobre Os Quatro Diabos é “Por que eles não estão no Grimóirio d‘Os Quarenta Servidores, ou vêm como parte da versão padrão do baralho?” A resposta é muito simples, mas é uma pergunta que tem sido feita à exaustão, assim como “Qual o preço cobrado pelo The Fixer?”, a despeito de quantas vezes eu já a tenha respondido.

A resposta é simples: o motivo de Os Quatro Diabos não estarem no Grimório dos Quarenta Servidores  ou virem como parte da versão padrão do baralho é que Os Quatro Diabos NÃO SÃO parte dos Quarenta Servidores  Eles têm seu próprio sistema e são entidades independentes, completamente separadas d’Os Quarenta Servidores. Se fossem,  (repetindo, eles NÃO SÃO) seriam chamados Os Quarenta e QUATRO Servidores, o que não é o caso.

Creio que confusão vem do fato de serem semelhantes em sua aparência e essência. Todos eles são Servidores, com sigilos e designs criados por mim. Eu me pergunto por que as pessoas têm dúvida, mas minha maior preocupação é que eu não quero que comprem uma coisa pensando que é outra ou mais do que realmente é.

Pra botar mais lenha a fogueira, incluí Os Quatro Diabos como parte do Edição de luxo d’Os Quarenta Servidores, portanto assumo minha responsabilidade. Parece também que incluirão em alguma edição da versão brasileira do livro e do baralho, mas isso ainda está pra ser decidido.*

*O texto original foi lançado em agosto de 2018 e o grimório e deck vem com os 4 diabos também.

Então, primeiro: por que não falo muito sobre Os Quatro Diabos como deveria: pra evitar confusão com Os Quarenta Servidores, que são meu interesse principal.

KranvocO segundo motivo é a quizumba com o Kranvoc e Kavan The Kid, que vocês podem conferir AQUI se não sabem do que eu estou falando.

Embora tenha corrido tudo bem e Kavan tenha sido super gente boa a respeito da questão, isso me perturbou um pouco e, de certa forma, me tirou o tesão de continuar divulgando Os Quatro Diabos.

Havia algo, (e ainda há) que parecia ligeiramente fora de contexto na quadro todo e eu não poderia meter o bedelho ali… Talvez fossem minhas próprias inseguranças ou uma manifestação da minha Sombra querendo me botar terror: “IH F*DEU! VAI DAR UMA M*RDA MUITO GRANDE!!!”.

Seja como for, isso me deixou ressabiado a respeito de falar deles.

O terceiro motivo é que simplesmente não tenho tempo pra me dedicar a eles. Eu sei que é uma desculpa esfarrapada e eu pretendo redimi-la, a começar com este post.

PRIMEIRO: POR QUE CRIAR OS QUATRO DIABOS?

Novamente, não há uma única resposta.

O primeiro motivo foi que eu queria sacar a energia despendida por mim no meu cargo de Administrador do CMG pra usá-la. CMG tem feito parte da minha vida há tanto tempo que achei por bem usar essa energia pra um propósito mágico.

O segundo motivo foi que eu queria criar algo realmente simples e direto e que não deixasse dúvidas ou criasse qualquer mal-entendido. Eu falhei no segundo.

VharmonEntendam, um dos principais motivos para criar Os Quarenta Servidores foi conjecturar várias ideias mágickas, rituais, energias e etc., simples e fáceis de usar. Sob vários aspectos, acho que funcionou bem, mas você provavelmente ainda precisa ter algum conhecimento de Magia do Caos pra botar pra funcionar.

Com Os Quatro Diabos, eu queria pegar essas ideias e torná-las ainda mais simples. Eu me perguntei: “O que as pessoas mais querem?” Isso  todo mundo já sabe – Saúde, Riqueza e Felicidade.  Tudo o que eu tinha a fazer era adicionar Sabedoria àqueles três. Eu percebi que tinha a magia mais básica e ao mesmo tempo mais poderosa  já concebida. Eu pensei que um punhado de gente poderia buscar isso, mas que teriam curiosidade por uma semana ou mais e depois esqueceriam.

Então eu meio que joguei eles o mundo…

Eu, de forma alguma, esperava que ficassem tão populares como ficaram – ou tão rápido. Eles se propagaram imediatamente entre a galera – causaram frisson. Eu já disse isto antes, mas no dia em que os lancei, realmente senti como se tivesse “dominado” o Facebook por um dia. A coisa toda bombou.

Mas depois eu meio que não falei mais nada sobre eles, apenas os assisti trilhar seu próprio caminho, o que imagino que ocorreu independentemente de mim.

COMO FAZER MAGIA COM OS QUATRO DIABOS

  • HarvenEncontre um local onde você não seja perturbado.
  • Sente confortavelmente e feche os olhos.
  • Aparte sua atenção do resto do mundo e comece a focar em seu mundo interior. Interiorize ao máximo.
  • Diminua sua respiração mas mantenha-a relaxada e desprendida. Não faça da respiração um esforço.
  • Comece a mergulhar em uma consciência mais ampla da existência. Tente se tornar consciente da vastidão de si mesmo e do universo.
  • Quando estiver no estado de plenitude por algum tempo, comece a pensar no seu desejo mágicko. Comece a gerar excitação e entusiasmo por ele o máximo possível. Visualize-o da forma mais clara que conseguir. Inclua cheiros, toques, sabores e qualquer outra coisa que você queira.
  • Comece a chamar o Diabo da sua preferência – escolha o que parece mais apropriado para o seu desejo. Visualize o Sigilo e diga o nome repetidamente como um mantra.
  • Diga ao Diabo – “Essa é a missão que lhe dou. Isto ou algo melhor.” Você pode dar detalhes se quiser ou um prazo. Diga ao Diabo o que vai oferecer em retorno – oferecer um incenso, vela ou agradecimentos públicos são de praxe.
  • Comece a visualizar o desejo já realizado – certifique-se de sentir-se totalmente certo de que já está garantido.
  • Retorne ao estado normal de vigília.
  • Quando o seu desejo se realizar, certifique-se de fazer a oferenda.

É claro que esta não é a única maneira de se fazer magia (k) com Os Quatro Diabos, há várias maneiras – a mais eficaz será provavelmente a sua própria.

Do mesmo modo, você pode usar este método para Os Quarenta Servidores também. Eu não consigo imaginar por que isso não funcionaria com eles. Na verdade, imagino que seria bastante poderoso.

Então, gente bonita, deixem-me saber o que conseguiram com esta técnica e como funcionou pra vocês.

Fiquem de boa!

Traduzido por Frater Tinhoso



Últimos Vídeos do Canal



Últimos Posts no Blog

Ritual Caótico do Choque de Egrégoras

Ritual Caótico do Choque de Egrégoras

O Ritual Caótico do Choque de Egrégora é essencialmente um Ritual de Assunção Forma-Deus, embora possa ser utilizado para qualquer fim que o operador quiser. O "Choque de Egrégora" no nome foi colocado para desmistificar a ideia de que egrégoras diferentes não podem trabalhar juntas, portanto o ritual não é para chocar engrégoras e sim para fazê-las trabalhar em sinergia para um mesmo propósito.
O que são Servos Astrais?

O que são Servos Astrais?

Servos Astrais podem ter os mais diversos conceitos dependendo do sistema, paradigma ou crença que você utilize. Na filosofia da Magia do Caos é convencionado que Servos Astrais são Formas-Pensamento. Diferente dos Sigilos que são apenas a representação de um intento (intenção, desejo), os Servos Astrais são representações de Habilidades, Características ou Arquétipos. Formas-Pensamentos são literalmente pensamentos que tomaram forma. Os pensamentos em […]
Contrato com Servos Astrais

Contrato com Servos Astrais

Muitas pessoas tem dúvidas sobre o tal “contrato” de ativação de servidores, mas rola uma confusão sobre a questão. O contrato do servidor é simplesmente a ficha do servidor, ou seja, ao criar o servo astral você faz o “contrato” que basicamente é a descrição das características do servidor e da forma como ele deve funcionar. No entanto […]
Ensaio sobre o EGO

Ensaio sobre o EGO

Dissecando o mecanismo do ego, para deixar de ser escravo desse mecanismo
Como criar um Servo Astral

Como criar um Servo Astral

Passo a passo de criação de um Servo Astral com seus requisitos essenciais e opcionais.


Últimos Textos da Biblioteca

A Origem do Satanismo na Maçonaria – PDF

A Origem do Satanismo na Maçonaria – PDF

Autor: Arthur Edward Waite Baixar A Origem do Satanismo na Maçonaria em PDF
A Difícil Missão de ser Ambidestro

A Difícil Missão de ser Ambidestro

A ideia de Mão Esquerda e Mão Direita vem do Vāmācāra Tantra (Tantra da Mão Esquerda) e do Kaulācāra Tantra (Tantra da Mão Direita); a primeira, diz respeito a deificar o que é comumente visto como demoníaco: “(...) comeis ricas comidas e bebeis vinhos doces e vinhos que espumam! Também, tomai vossa fartura e vontade de amor como quiserdes, quando, onde e com quem quiserdes!”; ou, como diria Menudo: “Não se reprima!”.
Anjos Fósseis – Alan Moore

Anjos Fósseis – Alan Moore

Fossil Angels é uma espécie de “ensaio-manifesto” que trata basicamente do estado da magia e espiritualidade no mundo atual, onde Alan traz críticas ácidas e contundentes a todos os demais magos e místicos, juntamente com conselhos preciosos e um otimismo implícito em relação a um possível futuro mais pleno de espiritualidade, tudo permeado com a mais fina ironia, numa linguagem por vezes rude e brutal, por vezes impregnada do bom humor britânico.
Manual da Baderna Mágicka – Magickando

Manual da Baderna Mágicka – Magickando

Manual da Baderna Mágicka é um manual prático de magia ativista feita pela galera do Magickando
Santos SÃO Servidores

Santos SÃO Servidores

Os santos católicos, assim como as entidades da Umbanda, são servidores.