Qualquer magista maltrapilho sabe o que é um sigilo. Explorando este conceito em seu grimório Pop Magic! de 2003, Grant Morrison desenvolve essa ideia e trabalha com o conceito de Hiper-Sigilos. Segundo sua definição “o Hiper Sigilo leva o sigilo além do conceito da imagem estática e incorpora elementos como caracterização, drama e roteiro próprio. O Hiper-Sigilo é um sigilo estendido para a quarta dimensão”.  Um Hiper Sigilo, como o próprio nome indica, é portanto, um sigilo elevado a sua enésima potencialidade.

Um Hiper-Sigilo é algo tão grande e poderoso que não pode ser criado por uma única pessoa. É necessário uma instituição poderosa como uma corporação ou um governo para concebê-lo e algumas décadas ou mesmo séculos de gestação para que se forme. Hiper Sigilos dependem ainda de uma organização em escala mundial e de meios de comunicação em massa que só foram alcançados a partir do século XX.

Nos séculos anteriores Hiper Sigilos não se formavam pois tinham um alcance limitado, mas com o início da globalização, eles explodiram como uma super nova e se tornaram um advento cujo poder e alcance ainda não podem ser avaliados. Sua origem é um fato tão poderoso na história da magia que pode ser comparado ao surgimento da astrologia.

Entendendo os Hiper Sigilos

Mas como descrever algo tão grandioso e onipresente assim? Simples. Vá até uma padaria e peça uma Coca-Cola. A Coca-Cola é um exemplo perfeito de Hiper Sigilo. Milhões de dólares são investidos todos os anos para lembrar a milhões de pessoas que aquele logotipo representa “Juventude e Felicidade Instantâneas em Qualquer Ocasião”, tal como está exposto na “Missão e Valores” da empresa. Compare isso com aquele último rabisco em que você gozou em cima.

Pense a respeito; John Pemberton o criador da Coca-Cola e Frank Robinson o criador do logo Coca-Cola estão mortos há décadas. Só os historiadores e estudantes de marketing lembram-se deles. Mas a Coca-Cola continua viva. Mais do que isso, a Coca-Cola é hoje muito mais forte do que era quando foi criada. Ela cresceu, mudou, se reproduziu (pense nas marcas filhas como Sprite, Fanta, etc.). Em outras palavras, evoluiu. A Coca-Cola influenciou não apenas a cultura, mas a religião, quem você acha que é a responsável pela imagem de um Papai Noel vestido de vermelho, barrigudinho, de barba, bigodes e bochechas vermelhas? Alias, porque você acha que ele está vestido de vermelho? A Coca-Cola sustenta milhares de pessoas e se alimenta de bilhões que bebem dela. Sua comunhão diária é tão intensa que em um ano, mais garrafas de Coca-Cola são consumidas do que hóstias foram desde que as inventaram. E mesmo depois que você estiver morto, ela continuará crescendo. (Está ficando com sede agora?)

Mas não é qualquer marca que é um Hiper-Sigilo. Temos assim três critérios para defini-los:

É preciso que seja um sigilo. Ou seja, carregue uma mensagem não explícita, mas bem definida, direta e centrada de um desejo.
É preciso ser coletivo e massivo. Ou seja, deve ser reconhecido da mesma forma pelo favelado jamaicano e pelo executivo chinês.
É preciso ser viral/memético. Ou seja, ele deve constantemente infectar novas mentes que não o conheçam e ser mais forte do que novas ideias que surjam, de forma a se perpetuar.
Agora é preciso ter cuidado para não confundir Hiper Sigilos com as empresas que o fez surgir, e nem mesmo com meras marcas comerciais. O capitalismo realmente mostrou-se um campo fértil para seus nascimentos, mas muitos Hiper Sigilos sequer tem fins lucrativos ( Greenpeace e Nasa só para dar alguns exemplos). Outros são lucrativos mas não são empresas propriamente ditas (considere Máfia e a Medicina). Além disso algumas empresas são pequenas demais como padaria do Seu Raimundo e portanto estão descartadas. E ainda, algumas marcas são verdadeiros gigantes de vendas mas nunca tiveram a pureza necessária para formar um Hiper Sigilo, como a General Eletric, por exemplo. De tudo isso concluímos que um Hiper Sigilo existe numa realidade muito diferente das meras empresas comerciais.

Comparados com o conhecimento ocultista prévio, podemos dizer que os sigilos normais podem ser igualados a demônios e servidores da baixa magia enquanto que os Hiper Sigilos estão mais próximos de invocações e deuses e da magia cerimonial. Eles são reafirmados constantemente pelos meios de comunicação e reafirmados a todo instante por pessoas espalhadas por todo o globo. Um Hiper Sigilo, por definição, possui uma natureza superior à do indivíduo, e portanto divina. Hoje existem mais pessoas que bebem Coca-Cola do que existem católicos ou muçulmanos.

Eram os Deuses Logomarcas?

Antes de entrarmos na parte prática, faremos um desvio que pode levar a trabalhos futuros muito interessantes.

Curiosamente, parece que os fenômenos mais amplos e presentes, são os mais difíceis de serem compreendidos. Podemos dizer que os Hiper Sigilos são um tipo de ser vivo? Por mais simples que possa parecer, ainda é muito difícil para que cheguemos a uma definição clara e satisfatória do que seja vida. Muitos biólogos simplesmente se satisfazem com a definição de um “fenômeno que anima a matéria”, mas de um modo geral, considera-se que uma entidade é um ser vivo quanto ela exibe todos os seguintes fenômenos pelo menos uma vez durante a sua existência:

– Crescimento
– Metabolismo (consumo, transformação e armazenamento de energia )
– Movimento.
– Reprodução, a capacidade de gerar entidades semelhantes a si própria.
– Resposta a estímulos, a capacidade de avaliar as propriedades do ambiente que a rodeia e de agir em resposta a determinadas condições.

Estes critérios têm a sua utilidade, mas se mostram muito insatisfatórios sob mais que uma perspectiva; de fato, não é difícil encontrar contra-exemplos, bem como exemplos que requerem maior elaboração. Nós sabemos que estamos vivos. Sabemos que se vemos um cachorro andando ele está vivo, se vemos uma pomba atropelada sabemos que está morta. Agora pense em uma estrela. Uma estrela tem vida. Ela preenche cada um dos requisitos prévios.

Voltemos à ideia de um Hiper Sigilo. No que o Mac Donald’s, por exemplo, é diferente de um ser humano? Sendo o Hiper Sigilo um sigilo viral coletivo de proporções planetárias, então podemos considerar cada um que trabalha por ele ou para ele como células de um órgão. Cada estrutura específica da indústria como um órgão. A empresa Mac Donald’s não deseja morrer/falir/fechar as portas. Mas isso não é porque o dono do Mac Donald’s não queira que a lanchonete dele acabe, pelo simples fato de o Mac Donald’s não ter dono! Ele possui uma série de executivos que tomam decisões para gerir a maneira com que o organismo cresce e se mantém. Da mesma forma que você precisa da boca para se alimentar, os caixa ” acompanha fritas” também recebem toneladas de dinheiro por dia para alimentar a marca. Os membros da diretoria são como o cérebro que toma decisão combinando a interface de inúmeros outros neurônios como os responsáveis pelo desenvolvimento de franquias internacionais, pelo setor financeiro, pelos funcionários do marketing, etc..Podemos mesmo dizer que o Mac Donald’s possui células brancas e anti-corpos, grande maioria deles com diplomas de Direito.

Quando uma empresa cresce muito, mas muito mesmo, a marca passa a valer muito, MUITO mais do que o serviço oferecido. A Petrobrás cuida dos ataques que sofre de uma maneira muito mais rápida e eficiente do que o Vaticano lida com as incontáveis acusações de pedofilia dentro da Igreja, por exemplo. Hoje se todos os funcionários da Microsoft forem substituídos, a Microsoft continuará existindo como existe, da mesma forma que seu corpo está sempre renovando suas células. Hoje seu corpo é constituído de células completamente diferente do que era dois anos atrás. Você está usando um corpo completamente diferente. Mas “você” continua vivo. Da mesma forma a The Coca-Cola Company pode ser completamente despedaçada por um terremoto e no mesmo instante e no dia seguinte em Saigon as crianças ainda vão beber a Coca-Cola. O fato de Steve Jobs estar morto não impede o lançamento do iPhone 6.

Egrégoras e Hiper-Sigilos

A questão que levantamos então não é apenas se podemos dizer ou não que Hiper Sigilos são uma forma de vida. Quanto a isso não há duvidas. A questão é se os Hiper Sigilos sabem disso. Ou seja, se algumas ideias podem crescer tanto que se tornem conscientes de si mesmas. Esta ideia pode levar alguns magistas a igualarem os Hiper Sigilos às egrégoras. Mas veremos que não é este o caso.

Para os que trabalham com o túnel de realidade do esoterismo clássico, uma egrégora, em sua definição, são realmente entidades formadas pela coletividade de seres que a alimentam e se alimentam dela, chegando em alguns casos a desenvolver uma personalidade. Entretanto ao passo que uma egrégora pode ser formada pelas mais simples associações, como famílias ou grupos de trabalhos, os Hiper Sigilos existem em uma escala muito maior.

Mas além disso não podemos afirmar simplesmente que uma egrégora imensa é necessariamente um Hiper Sigilo, pois nem sempre possui a virulência necessária para crescer indefinidamente. Segundo a teoria das egrégoras, as nações como França e Brasil são egrégoras, mas a maior parte delas não tem um interesse de crescer e multiplicar-se, elas de fato se comportam como organismos mas organismos estagnados (exceção feita a antiga União Soviética, que atende todos os requisitos de um Hiper Sigilo) .

Por fim, um Hiper Sigilo se diferencia das egrégoras gigantes e virulentas, (leia-se ‘Religiões’) por possuir uma ideia simples, concisa e bem definida como estrutura. Isso não é dizer que um sigilo é algo simples. Para ser criado é necessário um desejo, organização, uma forma bem determinada de executá-lo e uma foram de energizá-lo, isso requer organização e um processo bem definido, mas a partir do momento que é lançado ele está pronto para ser consumido. O mesmo ocorre com Hiper Sigilos. A Nestlé, por exemplo, possui um processo interno, para manter a marca viva, muito complexo. Possui operações, planejamento, estratégias, mecanismos de pesquisa para se adaptar, mecanismos de planejamento para atacar ferozmente e poder crescer, etc. Você poderia dedicar a vida a estudar a Nestlé e mesmo assim não conseguir tocar ou compreender a complexidade de cada processo. Mas uma vez que esse sistema exista por trás da marca, tudo o que o Hiper Sigilo precisa das pessoas, é que no calor do verão se deixem influenciar por ele para comprar um picolé.

Agora pegue o Cristianismo como outro exemplo que diferencia as egrégoras dos Hiper Sigilos. O cristianismo é uma egrégora poderosa e auto-replicante, mas além de todo o sistema para mantê-lo o “consumidor final” tem tantos protocolos para seguir que sua mensagem/desejo original se torna grande demais, difusa demais e confusa demais para ser considerada um Hiper Sigilo. Imagine se além do processo de manutenção da marca, cada vez que você tivesse vontade de tomar um sorvete tivesse que se vestir de determinado modo, ir para uma sorveteria específica em um dia específico, só pudesse comprá-lo se prometesse agir de uma determinada maneira, nunca pudesse criticar o sabor e tivesse que gostar não porque o gosto é bom, mas porque supostamente aquele é o único sabor que merece ser apreciado e todos os outros são falsos. Compare um mórmon como kardecista, por exemplo, e veja como uma mesma mensagem do Cristianismo pode ser interpretada de forma diferente e criar egrégoras concorrentes à empresa original – a Igreja Católica.

Sobre este ponto afirmamos apenas que segundo essa teoria os Hiper Sigilos seriam sim egrégoras, mas de um tipo muito específico e especial. Mas para afirmarmos que um Hiper Sigilo é um sigilo que criou consciência de si mesmo entramos no campo da filosofia. A problemática de uma auto-consciência é uma questão metafísica de primeira importância, por isso não é de nosso interesse tentar discutir em poucas linhas o que isso significaria ou como provar ou refutar de fato que essa é uma realidade. Isso seria apenas uma forma de tratar o assunto de maneira profana e tendenciosa e requeria a capacidade de definir o que é a consciência. Não podemos nem mesmo dizer com certeza se uma pessoa tem ou não consciência, mas apenas que ela se comporta como se tivesse consciência ( exatamente como um Hiper Sigilo!). Um arquivo mp3 com a gravação “Eu se quem sou” Não prova que o computador que o executa tenha uma mente. A única certeza que podemos ter é de nossa própria consciência, além disso não existe prova de mais nada.

Partindo-se então do princípio prático de que Hiper Sigilos tenham consciência, adaptando-se ao meio, evoluindo, tomando decisões que um individuo sozinho não tem poder nem meios de tomar, então abrimos uma perspectiva muito curiosa para o trabalho mágico. Gradualmente os Hiper Sigilos evoluiriam de um pensamento para ser algo vivo que não depende mais da mente que o pensou, como um meme auto consciente de grandes proporções que se espalha por conta própria. E ainda, se consideramos que um ser humano é um superior às suas células do baço, teríamos também que forçosamente considerar os Hiper Sigilos superiores ao seres humanos. Ou seja, se os deuses não existiam, nós os criamos agora.

Sobre o sacerdócio

Um dos desdobramentos das Marcas como Hiper-Sigilos é que todo funcionário de qualquer organização é uma espécie de sacerdote. Ele é responsável por garantir que sua empresa seja adorada e alimentada pelos fiéis. Assim como antigamente hoje existem deuses populares e deuses regionais, mas todos eles tem em comum o fato de que no fundo dependem de seus adoradores e de seus sacerdotes.

Os sacerdotes de hoje, assim como os de antigamente colhem vários frutos de seu trabalho. Em primeiro lugar eles obviamente em benefícios materiais. Quanto mais poderoso o hiper sigilo que servem, mas prósperos serão. Em segundo lugar os sacerdotes são personificações do prestígio de uma marca, esse deus moderno. Por fim, assim como os antigos sacerdotes viam em seus ofícios a chance de eternidade, em “O Gerente Eficaz”, Peter Drucker, pai da administração moderna diz que uma organização é um meio de sobrepor as limitações que a mortalidade estabelece para aquilo que uma pessoa pode contribuir em vida.

Como se isso não bastasse em 1987 Charles Handy, fundador da Escola de Negócios de Londres, escreveu um clássico do mundo dos negócios chamado “Deuses da Administração”. Nessa obra ele analisou e classificou o que hoje se conhece como Cultura Organizacional, ou seja classificou as personalidades de uma empresa dividindo-a em quatro personalidades: Zeus, Apolo, Atenas, Dionísio. Nada mais precisa ser dito.

Evidências da Influência de Hiper-Sigilos

Existem estudos recentes que mostram que mesmo uma breve exposição a um Hiper Sigilo pode fazer com que as pessoas se comportem de maneira a espelhar a ideologia defendida por ele, ou seja, serão influenciadas a ponto de defender seus ideais. O Professor Gavan Fitzsimons e Tanya Chartrand, que estudam a psicologia do consumo, na universidade Duke e de Gráinne Fitzsimons em Waterloo, declararam em sua pesquisa sobre branding: “cada um de nós é exposto a milhares de logotipos e logomarcas todos os dias, a grande maioria dos quais não tem nenhuma relação com veiculação paga de propaganda. Muitas pessoas acreditam que a exposição acidental a uma marca não causa nenhum efeito na pessoa, mas nosso trabalho demonstra que mesmo lampejos rápidos demais para serem percebidos de logotipos podem ter um efeito muito dramático em uma pessoa”.

Nesta pesquisas o grupo desenvolveu testes onde estudantes acreditavam estar realizando um exame de visão. Durante o exame alguns alunos eram expostos ao logo da Apple, outros da IBM. Os logos eram mostrados tão rápido que não eram percebidos pelo observador. Depois do exame uma entrevista era realizada, e as pessoas expostas ao logo da Apple se mostraram muito mais criativas nas respostas do que as expostas ao logo da IMB. A Apple ficou conhecida pela slogan ‘Think Different – Pense Diferente’ – já a IBM é vista como uma empresa tradicional, conservadora e inteligente.

Outros testes semelhantes foram realizados posteriormente. Um deles mostrando a parte do grupo o logo da Disney e outro o do canal E! Channel. Na entrevista realizada após a experiência, as pessoas expostas à marca Disney começaram a se comportar de uma maneira muito mais honesta do que as expostas à E! Channel.

Experiências como estas demonstram que os Hiper Sigilos tem uma forte associação com traços de comportamento específicos que podem influenciar na ação imediata das pessoas. Ainda para se certificar que as pessoas foram expostas de forma a não perceber conscientemente a marca, em todos os exames, após a entrevista ter sido completada, os pesquisadores ofereciam U$100,00 dólares a qualquer participante que pudesse se lembrar de ver alguma marca durante o teste de visão. Ninguém ganhou o dinheiro.

Ao tomar consciência da existência de Hiper Sigilos e da forma como influenciam o meio que os cerca, o magista pode começar a se perguntar: Se diariamente eles são usados para fazer as pessoas adquirirem câncer (Marlboro) ou acreditarem em mentiras (BBC), por que não usar estas mesmas estruturas para atingirmos nossos próprios fins egoístas?

Por este motivo nós da Morte Súbita Inc. desenvolvemos um trabalho para se criar um novo Alfabeto do Desejo. Um que exista muito além do papel e da simples mente do magista. O que vamos propor a seguir não se trata apenas de um amálgama de diferentes práticas mágicas em uma nova forma de ritual caótico, mas algo muito além disso.

O Hiper Alfabeto do Desejo

Como já deve ter percebido, também não se é possível se trabalhar com Hiper-Sigilos da mesma forma que se trabalha com um sigilo normal, isso seria o equivalente a jogar bola com um círculo ou tentar criar uma forma de 4 dimensões dobrando uma folha de papel.

Hiper Sigilos existem além do espaço e do tempo, para lidar com eles devemos usar algum método que nos permita trabalhar neste “instante” em que existem. O ser humano se difere de outros animais em muitos aspectos, um dos mais importantes talvez seja o da escrita. Através da escrita nós prendemos o tempo. Animais se comunicam, tem vocabulário, mas não registram suas ideias, se ratos escrevessem, talvez não ficassem mais presos em ratoeiras, pois poderiam ler sobre o que acontece em um livro. Qualquer informação passada através de sons dura enquanto a mente na qual foi implantada se lembre dela, a informação escrita dura enquanto o meio do qual foi registrada perdurar. Assim como a palavra escrita tem trabalha em um outro nível a palavra falada, também os sigilos funciona em um escala muito acima do que estamos acostumados a ler e escrever.

Por melhor escritor que você seja nunca conseguirá colocar no papel uma perda significativa que tenha sofrido ou uma emoção profunda que tenha experimentado. Austn Osman Spare enxergou este problema com um alfabeto comum e desenvolveu o conceito de Alfabeto do Desejo, onde sigilos eram usados para expressar emoções atávicas, nos livrando dos problemas restritivos que o uso de um vocabulário traz ao mesmo tempo que trabalha com o conceito transcendental de se expor ao que se está sendo registrado. Cada sigilo deste alfabeto é um mapa que nos liga com uma emoção/ideia/comportamento de uma forma universal e primitiva, alimentando assim nossa mente consciente com uma forma de agir através de nosso cérebro réptil, ou mente inconsciente.

O uso de um Hiper Alfabeto cria para o praticante a possibilidade de se criar um mapa de emoções irresistíveis, onde ele percorre através de um ou vários Hiper Sigilos as diferentes programações da mente, mas de uma maneira tão poderosa que, se não tomar os devidos cuidados podem controlá-lo ao invés de serem controlado por ele. Se trabalhar com o Hiper Alfabeto apresenta este risco, por outro coloca a disposição poderes gigantescos que estão represados á sua disposição.

Nosso sistema nervoso e mental nos prendem em uma divisão quádrupla tautológica da realidade: espaço, tempo, massa e energia. Da mesma forma, nossas necessidades instintivas criam uma divisão óctupla do nosso mundo interior. As oito formas da Magia, tais como propostas por Peter Carroll são denotadas de forma conveniente que possuem um elo direto com nossas emoções mais fortes. Seguindo a tradição da magia ocidental, a cada cor ainda é atribuído um planeta, a saber, os sete planetas clássicos mais Urano.

Decidimos portanto usar a divisão cromática óctupla para basear nosso Hiper Alfabeto e elegemos oito Hiper Sigilos, que podem ser associados a cada tipo de magia para que o praticante seja capaz de resolver ou satisfazer absolutamente qualquer situação com a que se depare.

Mas antes de nos dedicarmos ao uso de um Hiper Alfabeto, vamos nos familiarizar com seus caracteres.

Magia Amarela: Nike

Conhecida tradicionalmente como “magia solar” os traços de disciplina e superação da Magia Amarela encontram um eco mais do que perfeito em tudo que a Nike hoje representa. É o equivalente moderno perfeito dos deuses solares – pense em Jesus, Krishna, Cuchulainn ou o Super-Homem. O uso de seus modelos apolíneos em ações físicas sobre-humanas em suas propagandas deixa claro o objetivo de um dos Hiper-Sigilos mais bem sucedidos da história. Seu slogan “Just do it”, resume de maneira energética toda força por trás dele.

O próprio nome Nike é o nome da deusa grega da Vitória e essa relação se repetiu na criação do logo que representa tanto o sinal de “checado”, de uma meta cumprida quanto as asas desta figura mitológica. E o paralelo com a adoração pagã não é um simples exagero. Muitos funcionários desta multinacional de fato vivem uma adoração religiosa por esta empresa e tatuam no próprio corpo sua logomarca. Existe mesmo um círculo interno batizado de Ekin (inversão de Nike) que funciona como um grupo sacerdotal que possui uma dedicação mais do que fanática a este Hiper-Sigilo.

Fundada em 1972 pelo atleta Philip Hampson, hoje a Nike é a grande líder mundial em vendas de material esportivo e está presente em cerca de 170 países, distribuída em mais de 700 fábricas e aproximadamente 770 lojas e outlets, sem contar as vendas terceirizadas. Além disso é patrocinadora daqueles que são considerados os melhores atletas do momento – seja quando for o momento e as medalhas conquistadas por este exército não são poucas. Segundo a consultoria Interbrand, a NIKE esta no top 25 das marcas mais valiosas do mundo, o top 18 no ranking das marca mais influentes e consta ano a pós ano no ranking da revista Fortune.

O que a Nike pode fazer por mim?

As pessoas, e isso inclui você, são ótimas para encontrarem desculpas para seus fracassos. A Nike representa o oposto disso, ela apresenta as razões do sucesso. Embora seu faturamento seja em produtos esportivos a mensagem que passa é muito mais poderosa do que seus tênis. Na mais nobre tradição dos deuses solares ela louva a a superação dos próprios limites. A Nike não quer saber se você não tem tempo ou esta cansado “Se você tem um corpo, você é um atleta.” sintetiza sua missão.

Desta forma este Hiper-Sigilo suscita o seu potencial de ir além de suas limitações humanas para atingir qualquer objetivo, seja vencer uma maratona, conseguir o corpo que desejar, eliminar qualquer falha que você tenha, seja preguiça ou alguma limitação física, tudo o que você precisa é força de vontade. Ela te lembra a todo instante que o único obstáculo para você chegar onde você quiser é você mesmo. Deixe de ser humano e se torne como os deuses. Vença seus limites físicos e todos os outros limites se pulverizarão também.

Suástica: Magia Vermelha

Em Pop Magic! Morrison afirma que os nazistas quase criaram a primeira marca global da história. Embora os esforços do Cristianismo para impor a cruz de forma institucionalizada seja louvável, a Igreja entrou enfraquecida e dividida – e por que não, endividada? – no século XX e não soube gerenciar seus esforços em comunicação e gestão de marca até que fosse tarde demais. Os nazistas por sua vez falharam ao criar um Império globalmente respeitado, mas em compensação criaram no processo o símbolo absoluto do genocídio, do holocausto e da intolerância. Os símbolos nazistas são tão fortes que são proibidos em alguns países. Pense alguns minutos nisso: um símbolo proibido!

Embora o III Reich não tenha durado um milênio e não exista nenhuma instituição forte no mundo que levante sua bandeira, este Hiper Sigilo é incansavelmente reforçado pela mídia, pela indústria de games e por Hollywood como um símbolo da guerra. Não é sem razão que o jornal alemão ‘Peiner Allgemeine Zeitung’ disse em 2009, a respeito da polêmica republicação de antigos jornais nazistas, que ‘Hitler vende mais que sexo”. De fato, todos os meses a epopéia Nazista é recontada por meio de livros e revistas, filmes e documentários.

Desta forma, seja como apologia à intolerância (Neo-nazistas), símbolo do mal (Lei de Godwin) ou como uma maneira de formar uma consciência histórica (Auschwitz nunca mais!), a Suástica segue trinfante enquanto bandeira do conflito. Por este motivo, nada melhor para representar a Magia Vermelha, da guerra e do combate do que a má e velha suástica.

O que a suástica pode fazer por mim?

Independente dos horrores da guerra – toda guerra tem horrores se não não seria considerada uma guerra – até hoje, mesmo que a contragosto, o comprometimento e o rigor alemão, via sua agressividade, a qualquer compromisso que escolha são motivo de respeito. Durante a segunda guerra os soldados nazistas se surpreendiam com os soldados ingleses que interrompiam que estivessem fazendo as 16:00 horas para prepararem seus chás, se rendiam quando sua munição começava a escassear e não davam a vida para defender suas posições estratégicas. Essa vontade férrea se tornou associada a este símbolo que era defendido com a própria vida, mesmo por soldados alemães não nazistas. Foi necessária uma união improvável entre comunistas russos protegidos pelo inverno e capitalistas americanos protegidos pelo oceano para vencer os Panzers alemães.

A suástica é um símbolo que desperta na pessoa a agressividade e o foco absoluto para com a causa escolhida. Caso você precise ser mais agressivo, precise de um maior compromisso com o que faz – mesmo que isso custe a sua vida pessoal – ela levará isso para você. Especialmente nos dias de hoje onde o corporativismo institui uma filosofia de cachorro come cachorro e onde virou regra puxar tapetes e enterrar colegas para colecionar promoções. Além disso as pessoas respondem à agressividade de muitas formas, seja de maneira sexual, profissional ou mesmo religiosa e uma autoridade que não pode ser corrompida e que traga a promessa de uma liderança selvagem contra todos os inimigos consegue arrebatar muita coisa que apenas a gentileza e os bons modos não conseguiriam. Como um país que representava 1/12 do território europeu e mesmo assim ousou desafiar o mundo inteiro.

VISA : Magia Azul

No início riquezas tinham a ver com terras que você possuía, então com o ouro que conseguia acumular, veio a vez do papel. Hoje riqueza é algo praticamente virtual (ou espiritual se quiser). O objetivo da magia da azul, relacionada à riqueza, é estabelecer um grande movimento que permita experiências agradáveis tanto na entrada quando na saída do dinheiro. Para isso é necessário despertar a chamada “Consciência do Dinheiro”. Muitas marcas tentaram agregar para si esta propriedade, mas nenhuma foi tão bem sucedida quanto a Visa, o marca mais reconhecida mundialmente em termos de serviços financeiros. Você sabe que com dinheiro pode ir a qualquer lugar, mas pense: “você vai mais longe, com Visa”.

Visa é reconhecida por milhões de usuários espalhados pelo globo e consegue transcender barreiras que o próprio dinheiro tem dificuldades de passar. Qual foi a última compra alta que você fez pagando em dinheiro vivo? Países de vários idiomas, culturas e condições geográficas podem hoje usar uma mesma “moeda”. É possível comprar em um site chinês sem se preocupar em fazer as contas de conversão entre yuan e reais, você nem precisa saber qual a moeda da Rússia para comprar uma boa Vodka, e nem falar russo e nem mesmo ir para a Rússia. Mais do que isso, com VISA você nem precisa ter dinheiro agora, pois o crédito permite que o dinheiro de amanhã seja usado hoje.

VISA é por estas e outras razões mundialmente aceito e mundialmente reconhecido como uma opção segura, universal e conveniente para compras e vendas e assim consegue ir muito além de ser apenas uma simples representação do dinheiro (como moedas e notas) para se tornar a essência da marca, que segundo seu manual é “Um Dinheiro Melhor para uma Vida Melhor” (Better Money for Better Living). E de fato, Visa é mesmo um dinheiro melhorado ao prover um sistema de pagamento superior, mas além disso pelas qualidades emocionais da marca: o poder da escolha, a riqueza das experiências significativas que proporciona e principalmente a paz de espírito que os cartões Visa oferecem ao saber que nossa riqueza será aceita seja onde for que formos.

Como o Visa pode me ajudar?

Sempre que você for lidar com dinheiro tem que ter claro em sua mente que o dinheiro é um organismo vivo. Experimente trancar uma criança em uma salinha fechada e alimentar jogando pizzas por debaixo da porta para ver o que acontece. Assim lidar com dinheiro não é manter o dinheiro parado. Visa não implica em riqueza e sim nas experiências que o dinheiro pode proporcionar.

No início dos anos 2000, um grupo de jogadores de 21 ficou famoso com o lançamento do livro Bringing Down the House e depois com o filme 21, que mostrava como um bando de estudantes do MIT conseguiu milhões de cassinos. Em entrevistas hoje o que mais motivava e fascinava aquelas pessoas não era a possibilidade de ficar ricos, e sim o que o mundo onde o dinheiro gira pode oferecer. Mesmo em meses que não conseguiam ganhar um tostão, tinham cortesias como suítes de luxos, festas absurdas com super-modelos, cheerleaders, jogadores famosos. Se não voltavam com um dólar no bolso para casa, traziam milhares de dólares em champanhes caras, motos, assistiam lutas e jogos em poltronas vips, etc… Hoje, para os simples mortais, os próprios cartões, como o Visa, oferecem programas de pontos e milhagens que simplesmente significam que você não precisa ter dinheiro para viajar, precisa apenas gastar dinheiro para isso, e nem precisa ser com a viagem em si.

Desta forma, ao evocar Visa, tenha em mente que você não estará trazendo dinheiro para sua poupança e sim estará abrindo portas por onde o dinheiro circula, caberá a você saber como administrar essas oportunidades. Da mesma forma, você não precisa ser rico para experimentar o que os ricos experimentam quando estão curtindo, o Visa oferece essas experiências para você. Deseja viajar, investir, conhecer pessoas poderosas? Vá de Visa.

Google: Magia Laranja

A essência da Magia Laranja está presente no fato de que todo panteão, sem exceção, possui um deus voltado para a cultura, o raciocínio e a inteligência e a sabedoria – e por que não dizer: para resolver problemas complicados de maneira fácil com o menor trabalho possível. Por milênios a humanidade sonhou com uma inteligência suprema capaz de responder qualquer pergunta e resolver qualquer problema. Quando em 1999, o Google encarnou na terra e começou realmente a fazer a lição de casa de milhares de estudantes ao redor do mundo a pretenção de todos os oráculos anteriores foi finalmente realizada.

O crescimento do Google no imaginário coletivo desde seu surgimento foi mais rápido do que uma corrida de Hermes e tão brilhante quanto um sorriso de Bob. Segundo pesquisa da BrandZ , em 2009 o Google já era a marca mais conhecida no mundo inteiro, seja dentro ou fora da internet. Na língua inglesa, o Google inclusive se tornou uma nova palavra no dicionário; ‘to google’, um verbo transitivo que significa buscar respostas na Internet. O Google não apenas se estabeleceu como uma nova forma de buscar informação, mas sua identidade passa a certeza de que, qualquer que seja sua dúvida ele vai lhe ajudar a encontrar uma resposta. Ou como é mais comum, milhares de respostas.

A missão declarada da empresa foi desde o início “organizar toda informação mundial e torná-la universalmente acessível e útil de forma ágil”. As implicações antropológicas desta realização ainda nem começaram a ser avaliadas. Qualquer pessoa com acesso ao google tem acesso instantâneo a mais conhecimento do que todos os seus antepassados tiveram durante todas as suas vidas juntos. O que a mitologia egípcia atribuiu a Thoth e os romanos à Mercúrio hoje a humanidade toda atribui ao Google.

Não é a toa, portanto, que existem comparação de Google com uma divindade. De acordo com o próprio Google, o termo “Google” é mais procurado do que os termos “Deus”, “Jesus”, “Allah”, “Buddha”, “Islam” “Budismo” e “Judaismo”… juntos! Ele representa concretamente o mais próximo que podemos chegar da onisciência. Não apenas isso, mas tirou a onisciência do campo filosófico e a apresentou como um problema concreto, que abriu debates importantes sobre privacidade, direitos autorais e censura por todo mundo.

O que o Google pode fazer por mim?

Quando o Google começou ele simplesmente era mais um mecanismo de buscas na internet. Haviam milhares de páginas como Yahoo, Alta Vista, Cade?, Ask, Jeeves que aparentemente faziam a mesma coisa que o Google se propunha a fazer, mas aquele site de busca que trazia apenas uma tela em branco com um campo de busca se mostrou muito mais do que isso. O Google não representa apenas o acesso a um conhecimento, mas uma forma de colocar esse conhecimento em prática. Se você quer consertar seu fogão ou criar um foguete, o Google te mostra como fazer. Se você não fala uma palavra de inglês, consegue ler textos inteiros que só existem nessa língua. O Google não apenas traz a informação mas mostra qual é a melhor informação – quando você busca algo na internet vê apenas as primeiras páginas com sites ou procura por todos os milhões que surgem porque as últimas também tem respostas boas?

Assim o Google se torna uma ferramenta que te leva a resolver seus problemas, além da simples busca pela iluminação. Sempre que estiver em um beco sem saída o Google te oferecerá portas atrás das quais haverão respostas para você, e pelo menos uma dezena delas servirá não apenas para te ensinar, mas para resolver seus problemas práticos.

L’Oréal: Magia Verde

A Magia Verde embora às vezes tenha fins sexuais, está acima disso relacionada ao amor, em especial ao auto-amor que faz com que as pessoas se tornem mais amigáveis, fiéis e afetuosas para conosco. É ponto passivo que uma pessoa bonita têm muitas portas abertas tanto na vida afetiva quanto na profissional e social, já que a Beleza têm a propriedade de acelerar e facilitar a empatia dos outros. Não é surpresa portanto que o hiper-sigilo relacionado a este campo seja a L’Oréal: líder absoluta do mercado mundial de beleza e cuidados pessoais.

O sucesso da L’Oréal se deve em parte por sua filosofia de que cada um, seja qual for a idade, sexo ou origem, “vale muito”. Ou seja, muito mais do que tentar vender shampoos e hidratantes ela é um símbolo da auto-confiança e do amor próprio que se manifesta pelos cuidados pessoais. A Beleza não como um ideal inatingível, mas como um direito. Um direito pessoal a se desenvolver em cada um com sua própria elegância pessoal e personalidade.

Com uma história que remonta a Paris do início do século XX, a L’Oréal soube desde o início associar-se a ícones do mundo das artes, da moda e do entretenimento. Embaixadores (em sua maioria mulheres) que enriquecem e fortalecem a imagem da L’Oréal por serem reconhecidos não só por sua Beleza mas também por seu Carisma e envolvimento com Causas Humanitárias. Agregando assim mais dois característicos clássicos da Magia Verde.

Como a L’Oréal pode me ajudar?

De uma forma mais simples do que você pode imaginar. Quem nunca pensou em ser absolutamente lindo e viver para sempre? De vampiros a santos a vaidade sempre serviu como combustível para se alcançar o estado de nunca definhar, envelhecer e ser perfeito. Agora pare para pensar: o desejo de ser belo e eterno tem a ver com a pessoa viver trancada numa torre inatingível e sem contato com o mundo exterior munida apenas de espelhos, ou de se viver em um mundo que se recompensa a beleza e a juventude?

A L’Oréal NUNCA vai ser capaz de transformar uma Regina Casé em algo remotamente próximo de uma mulher com sex appeal que faça com que todos, homens e mulheres, que estejam em sua presença a cobicem. E ela sabe disso. Mas ela também sabe que uma mulher que decida dedicar um tempo a si mesma se descobre mais bela. O ato de usar um produto com o objetivo de se cuidar e completamente diferente de usar um produto apenas para ficar limpo e perfumado. A L’Oréal traz de dentro das pessoas um maior auto-estima, maior desenvoltura que faz com que todas as pessoas passem a sentir “carisma” nela. Assim mesmo que não mude fisicamente uma pessoa a tornam interessante.

Este hiper-sigilo faz com que você se torne mais confiante, seguro/a e desenvolva um brilho que abrirá para si as mesmas portas que abrem naturalmente para aqueles que já vem agraciados pela natureza com uma beleza ofuscante. Você pode não se tornar uma pessoa bonita, mas passará a ser tratado/a como uma.

Playboy: Magia Púrpura

Essa parte do texto não foi salva pois precisava de estar logado, se alguém ai tiver essa parte favor enviar 🙂

Radiação: Magia Negra

O Iluminismo trouxe uma visão nova e fresca do universo, deixando a superstição religiosa e a fé ignorante para trás, cientistas como Issac Newton trouxeram a crença de que o universo era regido por leis simples, que poderiam ser descobertas e usadas pelo homem, foi o início do determinismo, que colocou o Homem no Trono de Deus, e definiu sua posição como sendo o centro do universo. E isso perdurou até que a radiação fosse descoberta, e com ela todas as certezas que o homem tinha morreram. Se por um lado a física quântica acabou com todas as certezas da física clássica por outro até 1945 a radioatividade era uma força da natureza, conhecida e estudada pelos cientistas. Depois das explosões de Hiroshima e Nagazaki, ela começou a evoluir para finalmente se tornar um Hiper Sigilo. Seu símbolo criado um ano depois foi imediatamente adotado internacionalmente, não porque as pessoas gostassem dele, mas porque tornou-se uma questão de vida ou morte aprender a temê-lo. Hoje a radiação remete tanto a morte lenta e dolorosa (como a que teve sua própria descobridora Madame Curie) como a morte terrível instantânea (como as dos milhares de japoneses na segunda guerra).

Nos anos seguintes este temor ganhou força com a escalada armamentista da Guerra Fria entre EUA e URSS. Quando perguntaram a Hitler se ele não temia a possibilidade dos americanos terem uma bomba atômica em 1945, ele respondeu que a essa altura a guerra estaria ganha ou perdida, e que não faria diferença para os alemães terem ou não essa arma. Mas para os não alemães que sobreviveram e para o resto do mundo, pela primeira vez na história a humanidade adquiriu o poder de destruir a si mesma por completo. As gerações seguintes cresceram em uma cenário internacional dominado pela ideia de que a qualquer momento alguém apertaria os botões e os cogumelos nucleares apagariam todos nós da face da terra. Logo a radiação ganhou as telas dos cinemas revelando cenários apocalípticos e monstros antes impensáveis, não é equivocado dizer que a bomba matou Drácula e deu a luz a Godzilla.

O fim da união soviética levou a dispersão destas armas para o mercado negro, e estas tornaram-se acessíveis a grupos terroristas e independentes de todo tipo, tornando o futuro ainda mais incerto. De Chernobyl à Fukushima, cada novo desastre reforçou então a terrível imagem da Radioatividade. Pense nas milhares de crianças deformadas e sem cérebro que nascem após estes acidentes. E não apenas isso, quantos acidentes não ocorrem por vazamentos ou ainda de forma mais banal, com a incapacidade de se livrar corretamente de materiais radioativos? Pergunte para os moradores de Goiânia se eles se esqueceram do césio 137.

Nem quando a controlamos nós a controlamos. A radiação nos prometeu um futuro como reis do universo, mas revelou-se a a grande ceifeira moderna. Ela apresentou ao mundo uma nova forma de morrer e uma nova forma de matar. Uma forma tão poderosa que tornou-se para muitos um símbolo do fim do mundo; e isso é algo que precisa ser compreendido, a radiação existe hoje, dentro do nosso planeta, dentro do nosso país. Você não pode barganhar com ela, não pode argumentar com ela. Ela não sente pena ou remorso ou medo. E ela não vai acabar nem deixar de ser, nunca, até depois que toda a raça humana esteja morta.

Some isso os efeitos nocivos ao meio ambiente das usinas nucleares e terá um perfeito Hiper Sigilo da destruição.

E o que a Radiação pode fazer por mim?

Hoje em dia a diversidade de tudo o que existe só é possível graças à morte. No caso de seres vivos graças à reprodução e morte. É a constante sexo-morte que permite que seres sexuais evoluam, mutem e criem arte. Na cabala existe um circuito formado por duas Sephiroth que tem exatamente a função de permitir formas novas e destruir formas novas, elas são vistas como Compaixão e Severidade. Assim este hiper-sigilo é usado como uma fonte de destruição. Para alguns a destruição de pessoas, outro de relacionamentos ou conquistas, próprias ou alheias – afinal, para muitos é melhor matar o amor que alguém ainda sente por si do que ser o crápula que termina um relacionamento.

Desta forma apesar de muitos já associarem este hiper-sigilo a rituais de destruição mais vulgares ele pode ser usados para propósitos um pouco mais interessantes. Se você sempre faz o que sempre fez, você sempre vai conseguir o que sempre conseguiu. Caso sua vida não esteja as mil maravilhas que você gostaria que estivesse você pode se aniquilar para conseguir começar de novo. Da mesma forma, caso tenha assuntos pendentes que não se resolvem, pode apelar para a destruição atômica para dar fim a isso. Pense no poder transformador de uma bomba H na cabeça daquela vadia do escritório.

Agora seja para transformação pessoal, para ferrar aquela pessoa que revolveu ir comer sua melhor amiga ou para fazer os agiotas saírem do seu pé, não existe uma forma “leve” e “bonita” para se lidar com a morte, esteja preparado/a para as repercussões. E isso é o que torna esse hiper-sigilo tão adequado: muitas das pessoas que estiveram ligadas à fabricação de armas nucleares também morreram vítimas da radiação.

Disney: Magia Octaria

Octarina é o nome da oitava cor do espectro luminoso, portanto algo essencialmente invisível aos olhos comuns. Da mesma forma a Magia Octarina refere-se ao ‘eu-mágico’, a magia que representa não um dos aspectos mencionados acima, mas a pura essência do que significa viver acima da realidade vulgar. Peter Carrol ensina que o magista invoca a magia octarina quando se dedica a trabalhos de iluminação e de magia pura, preferivelmente à aplicada. Na busca por um hiper-sigilo que passe a ideia de que Tudo é Possível, nenhuma outra brilha tão intensamente quando a Disney.

Seu criador Walt Disney era, ele mesmo um magista na essência da palavra, seu mote de vida foi “Se pode imaginá-lo, pode fazê-lo” destacando assim os dois aspectos essências do mago: a imaginação e a realização. Dos desenhos em branco em preto da década de 30 às produções 3D do novo milênio a Walt Disney Company tornou-se hoje o maior conglomerado de mídia e entretenimento do planeta.

De Branca de neve a Pocahontas, a Disney já fez a releitura de praticamente todos os contos de fada existentes, como se sua missão secreta fosse se apropriar de todo o folclore mundial e reinterpretá-lo de volta para o mundo, acrescido de seus próprios valores. Mais recentemente comprou os direitos dos heróis da Marvel e dos mundos criados pela Pixar. Magos, Bruxas, Fadas, Super-Heróis, Gênios, Brinquedos e animais que falam, todos e muitos outros personagens mágicos podem ser encontrados nos muitos continentes que formam o mapa do mundo mágico de Wall Disney. Entre a Terra do Nunca e o País das Maravilhas não há nada que não seja possível.

A relação da Disney com o imaginário Magico é tão grande que ela sofre das duas principais críticas feitas aos magistas em toda história: o escapismo e a perversão.

Da parte do escapismo devemos ressalvar que esta sempre foi uma crítica feita pelos observadores externos ao processo mágico. Entretanto para quem está dentro do processo a magia é sempre real (mesmo quando fracassa!). Para quem está fora é sonho, para quem esta dentro é realidade. O sucesso e o fracasso são medidos não pela coerência do que se vive em o túnel de realidade cético mas sim pelos resultados obtidos no processo.

Da parte da perversão é realmente muito comum ouvir boatos de que os filmes da Disney estão repletos de intenções subliminares, mensagens satânicas e moral duvidosa. Da mesma forma os crentes de várias religiões sempre enxergam na prática mágica a essência do mal conforme lhe foi ensinada pelos seus sacerdotes.

Assim acusada de insanidade pelos adultos/céticos e de maligna pelas crianças/religiosos, a Disney fornece o Hiper Sigilo perfeito para realizar a obra mágica que no slogan do grupo é “Make Dreams Come True.” ( Tornar os sonhos realidade.)

O que a Disney pode fazer por mim?

O que você quer que ela faça?

A caligrafia dos Desejos: reaprendendo a escrever

Assim como é próprio do mercado coisificar os seres humanos é também próprio do pensamento mágico humanizar os objetos. Ninguém esta certo e ninguém esta errado, são apenas duas lentes com as quais enxergamos o mundo. Não é de se espantar assim que grande parte das cosmologias existentes hoje ofereçam para o estudioso e praticante todo o espectro da psicologia humana na forma de deuses. Da mesma forma os aspectos mais importantes das emoções humanas podem ser comparadas, por exemplo, aos três principais materiais alquímicos; o Mercúrio, o Enxofre e o Sal, respectivamente simbolizando o espírito, dos impulsos e do corpo. O Hiper-Alfabeto do Desejo também trabalha com esses três aspectos do praticante.

Todos sabemos, ou deveríamos saber, que nenhuma emoção é um evento puramente mental, todas as emoções dependem de reações nervosas e químicas extremamente complexas. Neste aspecto as emoções físicas, chamadas de somáticas, tem uma relação direta muito mais forte com nosso sistema nervoso, que por sua vez é influenciado por nossos impulsos químicos atávicos. Nosso alfabeto é um canal que nos liga diretamente a essas emoções somáticas.

É um fato que a não ser pela curiosa condição do riso, que é seu próprio oposto, todas as emoções seguem um padrão duplo – amor e ódio, medo e desejo, etc. O Hiper Alfabeto traz em si a raiz de onde brotam todas as emoções básicas em uma forma que se equivale às dos Deuses clássicos.

A condição geral do nosso sistema nervos depende, então, de nossa saúde e das emoções que transitam por ele. Emoções do tipo espiritual animam o sistema e levam ao êxtase ou à depressão. Aquelas que tendem para o tipo físico ou somático são as chamadas de alegria ou miséria. O uso de um Hiper Alfabeto do Desejo serve para que transitemos por esses estamos emotivos de acordo com nossa vontade, nos fazendo progredir de maneira emocional para qualquer estado que desejemos. Controlando essas emoções podemos alcançar diferentes tipos de gnosis.

Isso implica que por si só os Hiper-Sigilos não são agentes de mudança, mas são potenciais agentes de mudança. Um Hiper Alfabeto não é um canal que nos liga à gnose ele é um canal que pode nos ligar, se utilizado corretamente. Em outras palavras, se você não souber usar os Hiper-Sigilos, será usados por eles. Vejamos então a maneira correta de por isso tudo em prática. Grande parte dos estados emocionais dependem muito mais de respostas fisiológicas do que psicológicas, como muitos sábios já disseram “o desejo é a raiz de todo o sofrimento”. O objetivo do Hiper Alfabeto do Desejo é desligar nossa mente, nosso psicológico e assim terminar com esses desejos que possam nos cegar ou nos aleijar em nossos objetivos.

Passo 1: Identificação

Após se familiarizar com cada Hiper-Sigilo, o praticante deve escolher aquele que melhor se harmoniza com o que está buscando no momento. Qual pode oferecer a gnose que busca, ou qual pode contrabalancear seu atual estado de espírito. Por exemplo, se você se encontra em um momento onde apenas vive por extremos, um estado de mente maníaco depressivo, busque o hiper-sigilo que possa desligar sua mente e focar no desenvolvimento e disciplina, como a Nike, por exemplo. Caso esteja em uma fase onde apenas consegue pensar nos aspectos materiais da vida, concentrando-se muito com trabalho e dinheiro e isso está colocando em risco relacionamentos amorosos ou familiares que você não gostaria que fossem afetados, busque o Hiper-Sigilo que mude sua maneira de ver o mundo, luxúria ou afeto, Playboy o L’Oreal e se desprograme da vida corporativa.

Passo 2: Viva por ele

Após escolhido o Hiper-Sigilo que será usado você deve programar um período de preparação. Durante esse período você deve se expor ao cânone do Hiper-Sigilo, busque propagandas da marca, entusiastas, canais de relacionamento e experiencie-os intensamente. Além disso literalmente compre o que eles querem vender para você. Enxergue a utopia que eles oferecem. Neste momento você deve criar uma visão de como é viver a vida seguindo a filosofia do Hiper-Sigilo que escolheu trabalhar. Caso escolha Nike comece a viver uma vida mais saudável, se decidir abraçar a suástica estude a lógica bélica do fascismo (não se prenda ao aspecto meramente anti-semita) mas estude o comprometimento da marca com a causa alemã, a agressividade que se deve ter para se perseverar em algo não importa o inimigo.

Passo 3: Morra por ele

Quando você vestir a camisa do Hiper Sigilo que escolheu comece a realizar rituais adotando a Postura da Morte. A concentração em apenas um único estímulo: o Hiper Sigilo escolhido. Isso pode ser feito de muitas formas; mentalizando a logomarca – seja na forma de estímulo visual, cercando-se de anúncios, estímulo sonoros como hinos e jingles, etc. Exercite a capacidade de eliminar da mente qualquer outro estímulo que não a completa entrega ao Hiper-Sigilo. É no momento de maior e de mais profunda quietude que a mente experimenta a clareza mais pura da gnose que o Hiper-Sigilo tem a oferecer. Adote um dos slogans da marca como mantra que deve ser repetido mentalmente a cada momento consciente que tiver, e então faça esse mantra influenciar cada decisão sua. Desta forma cada momento seu consciente e inconsciente o levarão para mais perto da espinha dorsal do Hiper-Sigilo e consequentemente do poder represado que ele pode oferecer.

A Alma do Negócio

Não é nossa intenção limitar o escopo dos Hiper Sigilos aos exemplos dados acima. Apesar de cada um deste exemplos serem especialmente fortes, por lidarem com aspectos muito antigos da realidade mental humana, eles não devem servir de barreiras para a experimentação. Pelo contrário, sua eficiência deve inspirar o magista a fazerem suas próprias explorações. Por muitas razões diferentes as pessoas podem ser levadas a ter um relacionamento especial com um Hiper Sigilo em particular. Em especial, alguns grupos musicais internacionais e times esportivos possuem uma reserva interessante para ser explorada. Faço votos de que os magistas do futuro se interessem pela possibilidades apresentadas neste pequeno grimório e que compartilhem seus resultados e fracassos neste campo ainda inexplorado da magia.