As Posturas da Morte

Parece impossível conversar com um magista do caos sem ouvir o termo “Postura da Morte”. Ele foi cunhado por A.O. Spare e repopularizado com a fundação da Illuminates of Thanateros e a explosão caoísta do meio ocultista. Primariamente ela era usada apenas para o lançamento de sigilos, mas com o tempo passou a ser parte de muitas outras técnicas mágicas.

Antes de iniciarmos nossa exposição vale um aviso aos iniciantes. Gnosis não é sinônimo de prazer. Não basta transar normalmente ou cantar alegremente e achar que atingiu o estado de gnosis. Este estado é muito mais profundo e sublima qualquer estado de dor ou prazer. É uma situação rara e a sensação não é de estar experimentando uma consciência alterada, mas sim de estar verdadeiramente experienciando o mundo real, diante do qual o cotidiano é uma mera imagem enevoada.

Neste curto ensaio tentarei dar alguns exemplos das diferentes técnicas de uso da Postura da Morte que tenho lido ou ouvido de outras pessoas, bem como praticado sozinho. O leitor verá que existem algumas maneiras diferentes das mais conhecidas. Estou certo que há ainda muitos outros caminhos e se você estiver interessado em partilhá-las comigo mande um e-mail ou entre em contato com a administração do site. Lembro-me que nos anos 80 houve muita discussão sobre qual a técnica era a “correta” (ou seja, aquela que era originalmente usada por A.O. Spare). Hoje, existe um consenso sobre qual era essa técnica e ela será a primeira que vou abordar.

O procedimento é bastante simples, especialmente se comparado às demoradas e complicadas técnicas de magia cerimonial disponíveis na época. O magista deve ficar na ponta dos pés com braços dados nas costas, com as costas arqueadas e o pescoço esticado, permanecendo o tempo todo com os olhos fechados. Nesta postura todo o corpo fica sob tensão. A respiração do magista deve tornar-se profunda e forçada. Um estado de gnosis será alcançado através desta técnica e neste momento deve-se disparar seu sigilo, embora seja um estado difícil de atingir pelos inexperientes. Depois de alcançar a gnose geralmente o magista cai no chão exausto. Isto seria seguido de alguma forma de encerramento do desejo, embora a maioria dos caoístas prefiram usar a gargalhada como uma forma de banimento. Um ocultista exausto e rindo jogado no chão não é algo que Eliphas Levi esperaria encontrar no século XXI, mas é assim que as coisas funcionam hoje em dia.

Existe ainda outro método; mais fácil mas ainda difícil de atingir a maestria do ponto da gnose. Consiste em ajoelhar a poucos metros a frente de um espelho grande. O magista olha fixamente nos olhos de seu reflexo e então usa alguma boa técnica de respiração (pranayama). A ideia é atingir o ponto do não-pensamento (que não é uma coisa fácil de fazer para a maioria das pessoas). Em tempo o magista começa a “ver” distorções no corpo e nos objetos ao redor, isso é normal mas não deve ser confundido como estado de gnosis. Deve-se ignorar isso e mergulhar no vazio. Quando sentir que atingiu o estado adequado deve fechar os olhos e naquele momento visualiza o sigilo.

O último método que vou explicar tem haver com o primeiro método de certa forma. Tem haver com a exaustão do corpo e da mente para trazer o magista ao estado de gnosis. Basicamente, implica em forçar a gnosis por meio de atividades físicas, dançar em êxtase ou rodopiar como um dervixe, combinadas com privação de sono, deixe de dormir dois dias antes e tente-se manter acordado sem o uso de drogas ou remédios, ao fim do terceiro dia coloque em prática as atividades. Há novamente muitas maneiras diferentes para executar este procedimento. Ele deve ser mantido até que você encontre-se fisicamente limitado pela exaustão e não consiga continuar. Quando isso acontecer o magista cai ao chão e tudo ao redor desaparece; neste estado o sigilo deve ser lançado.

Estas são apenas algumas técnicas e procedimentos que eu conheci e experimentei nos últimos anos. Se você conhece e usa alguma outra forma com sucesso, deixe aqui seu comentário.



Últimos Vídeos do Canal



Últimos Posts no Blog

Ritual Caótico do Choque de Egrégoras

Ritual Caótico do Choque de Egrégoras

O Ritual Caótico do Choque de Egrégora é essencialmente um Ritual de Assunção Forma-Deus, embora possa ser utilizado para qualquer fim que o operador quiser. O "Choque de Egrégora" no nome foi colocado para desmistificar a ideia de que egrégoras diferentes não podem trabalhar juntas, portanto o ritual não é para chocar engrégoras e sim para fazê-las trabalhar em sinergia para um mesmo propósito.
O que são Servos Astrais?

O que são Servos Astrais?

Servos Astrais podem ter os mais diversos conceitos dependendo do sistema, paradigma ou crença que você utilize. Na filosofia da Magia do Caos é convencionado que Servos Astrais são Formas-Pensamento. Diferente dos Sigilos que são apenas a representação de um intento (intenção, desejo), os Servos Astrais são representações de Habilidades, Características ou Arquétipos. Formas-Pensamentos são literalmente pensamentos que tomaram forma. Os pensamentos em […]
Contrato com Servos Astrais

Contrato com Servos Astrais

Muitas pessoas tem dúvidas sobre o tal “contrato” de ativação de servidores, mas rola uma confusão sobre a questão. O contrato do servidor é simplesmente a ficha do servidor, ou seja, ao criar o servo astral você faz o “contrato” que basicamente é a descrição das características do servidor e da forma como ele deve funcionar. No entanto […]
Ensaio sobre o EGO

Ensaio sobre o EGO

Dissecando o mecanismo do ego, para deixar de ser escravo desse mecanismo
Como criar um Servo Astral

Como criar um Servo Astral

Passo a passo de criação de um Servo Astral com seus requisitos essenciais e opcionais.


Últimos Textos da Biblioteca

A Origem do Satanismo na Maçonaria – PDF

A Origem do Satanismo na Maçonaria – PDF

Autor: Arthur Edward Waite Baixar A Origem do Satanismo na Maçonaria em PDF
A Difícil Missão de ser Ambidestro

A Difícil Missão de ser Ambidestro

A ideia de Mão Esquerda e Mão Direita vem do Vāmācāra Tantra (Tantra da Mão Esquerda) e do Kaulācāra Tantra (Tantra da Mão Direita); a primeira, diz respeito a deificar o que é comumente visto como demoníaco: “(...) comeis ricas comidas e bebeis vinhos doces e vinhos que espumam! Também, tomai vossa fartura e vontade de amor como quiserdes, quando, onde e com quem quiserdes!”; ou, como diria Menudo: “Não se reprima!”.
Anjos Fósseis – Alan Moore

Anjos Fósseis – Alan Moore

Fossil Angels é uma espécie de “ensaio-manifesto” que trata basicamente do estado da magia e espiritualidade no mundo atual, onde Alan traz críticas ácidas e contundentes a todos os demais magos e místicos, juntamente com conselhos preciosos e um otimismo implícito em relação a um possível futuro mais pleno de espiritualidade, tudo permeado com a mais fina ironia, numa linguagem por vezes rude e brutal, por vezes impregnada do bom humor britânico.
Manual da Baderna Mágicka – Magickando

Manual da Baderna Mágicka – Magickando

Manual da Baderna Mágicka é um manual prático de magia ativista feita pela galera do Magickando
Santos SÃO Servidores

Santos SÃO Servidores

Os santos católicos, assim como as entidades da Umbanda, são servidores.