Como se conectar com Servos Astrais

O que são Servos Astrais?

Servos Astrais, ou Servidores Astrais, são entidades criadas pelo magista para obter resultados mágicos. Servos são como ‘amigos imaginários’, mas também são como ajudantes e até podem se tornar divindades. Diferente dos sigilos, que são uma representação simbólica de um intento específico, servidores são uma representação simbólicas de um conjunto de características e habilidades.

Apesar dos Servos Astrais serem comuns na Magia do Caos a ideia de criação de entidades, formas-pensamento ou elementais artificiais é bem mais antiga, os nomes mudam, mas a ideia é parecida com os homúnculos e golens. Para saber mais sobre entidades artificiais leia esse ótimo texto Servidores – Definição, História e Métodos.

Servos Públicos

Embora a ideia de Servos Astrais tenha sido construída de forma que cada magista pudesse criar seus servos, a partir do momento que o Fotamecus foi liberado a público como Servidor Viral, o uso de servos criados por outros magistas começou a se popularizar.

Servos Públicos ganharam mais popularidade com a criação dos 40 Servos de Tommie Kelly, que trás um conjunto de servos que tentou ocupar o maior número possível de áreas baseados em arquétipos conhecidos.

Servos Públicos são seguros?

Sim. Embora ainda exista uma discussão sobre servos públicos não serem seguros por não sabermos como o outro magista o fez exatamente, o que importa é a informação que você tem acesso. Mesmo que um servo tenha sido criado para algo completamente diferente do que foi publicado, o que importa para funcionar é a descrição final e publicada do servidor.

Sobre a questão da vampirização isso tem mais a ver com o magista do que com o servo, qualquer tipo de ‘entidade’ pode vampirizar um magista que não tem experiência com banimentos ou proteções. Basicamente é como se a ideia se tornasse uma fixação ou obsessão e assim sugasse sua energia e atenção.

Em geral fazer banimentos antes e depois de qualquer ritual mágico é o suficiente para ficar protegido de energias negativas.

Invocação ou Evocação?

Embora não seja necessário entender esses conceitos para fazer uma conexão com Servos Astrais, algumas pessoas tem essa dúvida, se o servo deve ser evocado ou invocado.

A invocação é você trazer a ‘entidade’ para dentro de si. Portanto caso você queira usufruir de habilidades do servo você pode fazer uma invocação. Por exemplo, ao usar The Carnal para se sentir mais sexy, você fará uma invocação e trará ela para dentro de si, sendo assim você temporariamente estará usufruindo de suas habilidades.

A evocação é chamar a entidade para perto de si, assim poderá conversar com ela ou fazer pedidos. Você faz a evocação caso não vá precisar de adquirir as habilidades do servo, mas sim que ele consiga realizar algum pedido seu. Então caso o pedido a The Carnal seja você se tornar mais atraente para uma pessoa específica, então você fará uma evocação e lhe fará esse pedido.

Formas de Conexão com Servos Astrais

Na prática é possível se conectar com servos apenas lendo sobre ele e vendo seu sigilo, mentalmente você pode fazer uma invocação ou evocação e pronto, a conexão está pronta.

O grande segredo é o estado de consciência que você precisa para fazer a conexão, quem já tem facilidade de entrar em gnose pode se conectar aos servos sem precisar de absolutamente nenhum ritual, mas quem não tem essa facilidade pode usar os rituais apresentados na ficha do servo.

Ritual Proposto pelo autor do Servo

Cada servo pode vir com seu próprio ritual de ativação ou conexão, nesse caso basta seguir as instruções proposta na ficha do servo. Embora alguns servidores tenha rituais complexos, o ritual só é necessário caso você realmente não consiga se conectar através de gnose. O ritual é uma forma de fazer com que você entre na vibração do servo, ou entre em gnose para fazer a conexão. Alguns servos podem pedir oração, velas, frases de poder, etc.

Meditação com o Sigilo (ferramenta desse site)

A ferramenta de Meditação com Sigilo foi criada como uma solução tecnomágica para que qualquer pessoa consiga se conectar com qualquer servo. Para isso basta ter 30 minutos livres em um ambiente tranquilo e focar no sigilo do servidor enquanto acalma os pensamentos e lança seu intento. Para informações mais detalhadas, veja as instruções: Instruções para Meditar com o Sigilo.

Desenhando o sigilo

Você pode fazer conexão simplesmente desenhando o sigilo, nesse caso basta que sua atenção esteja focada no desenho e sua mente deve estar focada no seu intento. Esse processo é parecido com a meditação, pois você entrará em gnose enquanto desenha. Observe que a questão aqui não é simplesmente desenhar o sigilo, mas sim usar o momento do desenho para entrar no estado de gnose. Não é só fazer os rabiscos e pronto, é usar a sua energia, sua atenção e foco para fazer a conexão enquanto.

Velas e incensos

Para quem gosta de rituais básicos você pode fazer um mini altar para o servo, acender velas e incensos, deixar o sigilo do servo ali perto (ou desenhá-lo na própria vela) e deixar queimar enquanto você conversa com o servo e faz seu pedido. Esse é um método bem padrão, mas lembrando que o que importa não são as velas e os incensos, eles apenas são ferramentas para você entrar no estado de consciência que você precisa. Sobre cores das velas ou tipo de incenso, caso a ficha do servo não especifique você deve seguir sua intuição. Caso não consiga seguir sua intuição faça uma pesquisa no google sobre correspondência de cores ou fragrâncias que você vai conseguir encontrar as correspondências com seu intento.

Orações

Alguns servos vem om orações ou frases de poder para você ‘ativá-lo’, nesse caso basta recitar a oração ou as frases de poder e é nesse momento que a conexão está sendo feita, por isso é importante que você tenha total atenção no que está fazendo, nas palavras que são proferidas e no intento que você tem em mente.

Desenho do sigilo no corpo

O desenho do sigilo no corpo é um tipo de invocação, então quando você o fizer você deve estar com seu intento em mente, como por exemplo pensar “Sou a pessoa mais sexy do mundo” enquanto desenha o sigilo de The Carnal em seu pulso. Preferencialmente você deve reforçar esse intento todas as vezes que olhar para o desenho.

Tatuagem

Muito gente tem receio quanto a tatuagem de sigilo, por várias questões, outras pessoas não tem problema quanto a isso. A grande dúvida que colocam é se a energia do sigilo fica para sempre, ou se ele fica ativado sempre, mas isso depende muito do operador. Quando se faz um sigilo de proteção, por exemplo, não há problema nenhum, afinal, ficar protegido o tempo todo não tem contra indicação.

No entanto tem os sigilos que não necessariamente precisam ficar ativados o tempo todo, assim basta que o operador só ative o sigilo quando quiser, apesar da tatuagem estar em si o tempo todo. No caso do exemplo ao lado, que é do caotizador, a pessoa que fez deixou claro que não vai ficar ativo o tempo todo, só quando ele ativar. Ou seja, no fim das contas isso vai depender muito da pessoa que fizer e de como se criou o intento e a forma de trabalhar.

Orgasmo

Uma das formas mais populares de ativação de servos é durante o orgasmo. Você só precisa mentalizar o sigilo e o seu intento no momento do orgasmo e continuar com essa visualização no momento pós orgasmo (em que ficamos meio lesados curtindo uma ‘ondinha’). Observe que é eficaz exatamente pelo orgasmo propiciar um momento de gnose, que é exatamente aquele ‘vazio mental’ que vem com ele.

Exaustão

Você também pode ativar os servos através de exaustão física, basta visualizar o sigilo e pensar no intento depois que suas forças físicas se esgotaram e você não consegue ‘pensar’ em nada.

Quimiognose

É possível atingir a gnose através do uso de drogas, seja álcool, tabaco ou drogas ilícitas, isso por que as drogas conseguem te levar ao estado de gnose necessário para fazer a conexão.

Sobre a questão do Contrato

Muitas pessoas tem dúvidas sobre o tal “contrato” de ativação de servidores, mas rola uma confusão sobre a questão. O contrato do servidor é simplesmente a ficha do servidor, ou seja, ao criar o servidor você faz o “contrato” que basicamente é a descrição das características do servidor e da forma como ele deve funcionar.

No entanto com a popularização de servidores públicos a galera fica procurando sobre esse tal “contrato”, inclusive alguns servidores públicos começaram a aparecer com um modelo de contrato. Então o contrato acabou mudando de conceito, entrando mais no conceito de intento.

Ou seja, se você está criando um servo, o contrato é a ficha dele, se você está se conectando com um servo público, o “contrato” é basicamente o intento que você quer atingir com o servidor, isso pode ser feito mentalmente, verbalmente ou escrito. Basta você deixar claro o que você quer do servidor e, caso vá “pagá-lo” pelo serviço prestado, já deixa claro qual será o pagamento. É só uma “formalização” do intento.

Formas de alimentação

Cada servidor pode ter uma forma diferente de se alimentar, mas existe um alimento que funciona com todos os servidores: Atenção. Se você está acendendo uma vela por dia pra ele, você não está alimentando ele com velas, mas sim com a sua atenção, a mesma coisa para incensos, gestos ou a simples lembrança.

Caso a ficha do servo já venha com forma de alimentação basta seguir, caso não tenha o alimente dando atenção a ele da forma como quiser, seja meditando com o sigilo, acendendo velas, fazendo uma arte, espalhando o sigilo por ai. Qualquer forma pode funcionar desde que sua atenção seja direcionada ao servo e ao intento.

A forma correta de fazer a conexão

Como você já deve ter percebido não existe apenas uma forma de fazer conexão com servos, portanto não há uma forma correta. A única coisa que importa na conexão é seu estado mental e é exatamente por isso que repetimos várias vezes sobre a questão do estado de gnose.

Estado de gnose é um estado de “não pensamento”, ou de atenção plena, ou de vibração energética. Para cada pessoa pode ter um conceito diferente, mas o que importa nesse estado é a supressão da mente consciente e abertura da mente inconsciente de forma que o intento seja gravado nela.

Para entender melhor sobre o estado de gnose sugiro a leitura desse ótimo texto: Gnose Mágica

Opcionalmente você pode utilizar a fé pura e simples, embora seja mais complicado para a maioria, ter fé que vai dar certo é uma arma mágica poderosa pois essa crença te coloca no estado mental necessário para realizar o seu intento.

Comentários

  1. Achei muito interessante, conhecí há pouco a Magia do Caos e espero estudar a ponto de praticar. Mas estou fascinado pelo sistema de funcionamento.

  2. Por favor, co o faço pra ver a ficha de como ATIVAR a curadora (estou mto preocupada com minha saude). Em resumo, banimento ativação do sigilo e alimentação com vela? por favor me ajude

  3. Olá! Tudo bem? Hoje realizei o banimento da Cereja, mas uma parte do papel, que escrevi o intento e desenhei o sigilo, não queimava de jeito nenhum! Coloquei direto na chama da última vela que acendi pra ele e simplesmente não queimava.
    Tem alguma ideia do que possa ter acontecido?
    Alimentei ela todos os dias de alguma forma, fiz o banimento para a evocação e deixei claro no papel como iria ser realizado o banimento no final e o que eu diria.

  4. Olá! Tudo bem?
    Hoje fiz o banimento da Cereja, ela me ajudou bastante. Mas um pedaço da folha que eu desenhei o sigilo e escrevi o intento não queimou de jeito nenhum! Coloquei direto na chama da última vela que acendi pra ela e não queimava.
    O que será que aconteceu?

  5. Quais seriam as possíveis consequências negativas de um adepto, de algum sistema mais estrito como os cultos de nação (Candomblé, Batuque, Tambor de Mina e afins), ao conectar-se a servidores públicos caoístas?

    Para contextualizar melhor, entendo que cada servidor é uma egrégora em si e penso que por mais bem intencionado que esteja, o praticante poderia gerar algum tipo de atrito por estar conectado a uma egrégora de energias mais estritas.

    O que pensam sobre isso?

    1. Irmão a bênça, tbm faço parte do candomblé, e da umbanda e chegou a me ocorrer a mesma dúvida, só que eu entendo que seja uma forma pura e simples da ritualista de acreditar e deixar o universo devolver a ação.

  6. Boa tarde!
    Parabéns pelo site, aprendo muito com ele. Quanto ao contrato, toda vez que trabalho com um servidor, eu redijo um contrato especificando o que quero que o servidor faça, não utilizava as fichas como contrato, utilizava elas mais no sentido de me lembrar exatamente as formas de alimentação e ativação do servo. Contudo, creio que não há problemas no modo como eu faço, correto?

    E quanto às formas de alimentação, sempre que possivel espalho os sigilos pela cidade dessa forma o servo recebe atenção todas as vezes que esse sigilo é visualizado por alguém. Essa forma de alimentação é válida?

    Além desse método também faço a alimentação através de velas e incensos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Últimos Vídeos do Canal



Últimos Posts no Blog

O que são Servos Astrais?

O que são Servos Astrais?

Servos Astrais podem ter os mais diversos conceitos dependendo do sistema, paradigma ou crença que você utilize. Na filosofia da Magia do Caos é convencionado que Servos Astrais são Formas-Pensamento. Diferente dos Sigilos que são apenas a representação de um intento (intenção, desejo), os Servos Astrais são representações de Habilidades, Características ou Arquétipos. Formas-Pensamentos são literalmente pensamentos que tomaram forma. Os pensamentos em […]
Contrato com Servos Astrais

Contrato com Servos Astrais

Muitas pessoas tem dúvidas sobre o tal “contrato” de ativação de servidores, mas rola uma confusão sobre a questão. O contrato do servidor é simplesmente a ficha do servidor, ou seja, ao criar o servo astral você faz o “contrato” que basicamente é a descrição das características do servidor e da forma como ele deve funcionar. No entanto […]
Ensaio sobre o EGO

Ensaio sobre o EGO

Dissecando o mecanismo do ego, para deixar de ser escravo desse mecanismo
Como criar um Servo Astral

Como criar um Servo Astral

Passo a passo de criação de um Servo Astral com seus requisitos essenciais e opcionais.
Guia completo sobre Servos Astrais Públicos

Guia completo sobre Servos Astrais Públicos

Inicialmente os Servos Astrais eram criados pelo próprio magista, mas os Servos Astrais Públicos acabaram se tornando muito populares nos últimos anos depois da viralização dos 40 Servos de Tommie Kelly e a explosão de Servos Públicos aqui no Brasil. Já existiam vários textos sobre eles na biblioteca, mas senti necessidade de fazer mais um para elucidar algumas questões.


Últimos Textos da Biblioteca

A Goetia Ilustrada de Alesteir Crowley – PDF

A Goetia Ilustrada de Alesteir Crowley – PDF

SINOPSE Obra ilustrada por David P. Wilson Em 1904, Aleister Crowley editou, introduziu e publicou uma tradução inglesa do Livro da Goetia do Rei Salomão, o primeiro de cinco textos mágicos conhecidos como Lemegeton Embora várias edições tenham sido publicadas ao longo dos anos, relativamente poucas pessoas participaram, de fato, de uma evocação de um […]
Contrato padrão completo para contratação de servos astrais – PDF

Contrato padrão completo para contratação de servos astrais – PDF

Não é necessário um contrato para contratar Servos Astrais, mas se você precisar de um padrão tem esse aqui.
Como Criar Servos Astrais – Projeto Xaos

Como Criar Servos Astrais – Projeto Xaos

Esse é um pequeno PDF feito pela galera do Projeto Xaoz que define como criar um servo Astral.
Pó de gamação e glamour usando a The Carnal

Pó de gamação e glamour usando a The Carnal

Pequeno ritual usando a energia de The Carnal para melhor a beleza, sensualidade e auto estima.
Feitiço para banir a inveja

Feitiço para banir a inveja

A inveja é um sentimento negativo poderoso, pois quem o sente focaliza em querer o que é do outro ou em querer destruir a pessoa. Pode ser voluntário ou não. Nem todo mundo que sente inveja de alguém sabe disso, o que não quer dizer que não seja perigoso. Infelizmente não existe remédio para isso, mas temos como banir essa energia negativa de perto de nós.